Setembro 13, 2020

QUANDO OS OPOSTOS SE ATRAEM, E O RESULTADO É A JUNÇÃO DO MELHOR DE CADA UM DOS LADOS

Têm sido cada vez mais comum andar nas ruas de Goiânia e se deparar com um carro de som automotivo tocando rap, funk e sertanejo no volume máximo. Mas em que momento o público desses estilos se convergiram?
Mesmo que exista uma parte do público do hip hop que ainda torce o nariz para esses tipos de conexões artísticas, tem se tornado cada vez mais comuns parcerias entre cantores de rap e sertanejo, originando o que chamamos de trapnejo. Estilo musical que surgiu em 2016 com o hit “Quebra Cabeça” do Hungria com Lucas Lucco, e desde então vem ocupando o topo das músicas mais ouvidas do Brasil através de cantores como Tribo da Periferia, Dan Lellis e Marilía Mendonça.  


Reflexo desse cenário, o artista DeVito Cxrleone que já está na cena do rap há 10 anos, lança seu primeiro duo com uma dupla sertaneja: Pipoco. Unindo a identificação da cultura goiana, com o objetivo comum de fazer o som chegar ao público, essa música une as temáticas e arranjos característicos do sertanejo, em conjunto com uma produção musical toda feita em home studio, com autotune na voz e speed flow característico do hip hop


Não é novidade que o artista retrata a cultura goiana nas suas músicas desde o começo da sua carreira, mas isso vem se tornando cada vez mais nítido, principalmente no seu último lançamento: Love Songs P/ Cornos. O álbum composto por sete faixas retratou questões cotidianas e universais a partir de temáticas comumente exploradas na terra do sertanejo, mas manteve sua identidade a partir das influências do Lo-fi, trap, R&B e funk.   Saindo da caixa mais uma vez sem perder sua essência, DeVito Cxrleone reflete todos esses anos de sua carreira, sua identificação com a cultura goiana e a admiração pela música como arte independente do estilo musical, no lançamento de “Pipoco” com a dupla Victor Hugo e JP. O cantor objetiva levar o hip hop e a arte para o máximo de pessoas possíveis, abrangendo novos públicos e experienciando o que se tem de mais novo no mercado, o trapnejo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *